9 de mar de 2008

A EDUCAÇÃO NEOLIBERAL

A educação neoliberal no ensino da história. muitas vezes ouço comentários sobre os motivos por quais a educação pública anda tão ruim,várias explicações são formuladas, a que acredito mais provável é a do interesse do estado liberal que aqui no Brasil foi implantado por Fernando Collor de Mello (Rio de Janeiro, 12 de agosto de 1949) e Fernando Henrique Cardoso (Rio de Janeiro, 18 de junho de 1931) em desmontar a escola pública e entregar aos interesses privados,aos empresários que ganham muito dinheiro com incentivos com PRO UNI e tantos outros,vale ressaltar que não sou contra ao modelo pro uni considero apenas que estes investimentos poderiam ser em faculdades estaduais e federais que primam por um outro nível escolar.Voltando ao modelo liberal que com continua comLuiz Inácio Lula da Silva (Caetés, 27 de outubro de 1945[1]), e no mundo foi idealizado porMilton Friedman (Nova Iorque, 31 de Julho de 1912São Francisco, 16 de Novembro de 2006) foi o mais destacado economista do século XX e um dos mais influentes teóricos do liberalismo económico e defensor do capitalismo laissez-faire e do fundamentalismo de livre mercado. Esta proposta de educação visa desmoralizar,destruir a escola pública,com diversas políticas,pagam-se mal ao professores que não tem motivação,alunos que fingem que aprendem e ainda são desmotivados, pois não se vêem incluídos através da cultura,já que a ordem em voga é a ordem do mercado,que incentiva o consumo a todo tempo, modando o novo tipo de homem, o homem cidadão,em oposição ao homem sujeito,cidadão ajuda colabora o homem critico participa intervém no processo, no seu destino como no modelo dialético marxista ver Karl Heinrich Marx (Tréveris, 5 de maio de 1818Londres, 14 de março de 1883) Na esteira ideologica de docilizar,manipular vem as ONGS,que serve para amaciar as tensões sociais existente neste projecto injusto e cada dia mais desigual.No campo da história enquanto disciplina este modelo tem sua representação na nova história cultural que nega a existência das lutas de classe com o sistema de longa duração proposto por Fernand Braudel (Luméville-en-Ornois, 24 de agosto de 1902Cluses, 27 de novembro de 1985) foi um historiador francês e um dos mais importantes representantes da chamada "Escola dos Annales". O que nos resta então?lutar esta é palavra de ordem,o pobre da favela,os oprimidos das filas,os operários,os camponeses,cada de nos é responsável pela revolução. João Filho,é historiador e professor da rede pública de São Paulo.

Nenhum comentário: