9 de mai de 2008

POS-GRADUAÇÃO DE JORGE CORREIA DA ROCHA, NA UESF.CAP. 01

CAPITULO 1 A FORMAÇÃO DO PROFESSOR E SUAS IMPLICAÇÕES NA PRÁTICA PEDAGÓGICA FRENTE AOS DESAFIOS APRESENTADOS PELA SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO. Monografia apresentada ao Curso de Especialização em Política do Planejamento Pedagógico – Currículo, Didática e Avaliação como requisito parcial para obtenção do grau de pós - graduação. Orientadora: Profª Drª Carla Patrícia Santana. FEIRA DE SANTANA – BA 2007 DEDICATÓRIA Aos colegas educadores: que não apenas acreditam numa educação digna; mas que colaboram através de suas ações para tornar isso uma realidade; Aos coordenadores do curso de Pós Graduação, por transformarem o sonho da existência do curso numa realidade que beneficiou a tantos profissionais. Ao IAPE – Instituto de Aperfeiçoamento e Pesquisas Educacionais: Pela competência enquanto instituição e carinho dispensado a cada cursista. AGRADECIMENTOS Aos nossos familiares: que nos apoiaram e compreenderam nossas ausências nos preciosos fins de semana que tivemos de viajar para os encontros do curso; Aos nossos professores: que com suas experiências profissionais e pessoais nos contagiaram de otimismo e colaboravam para que voltássemos para casa com a sensação de que valeu a pena o estudo de cada módulo; Aos colegas de curso: pela oportunidade de trocarmos experiências e construirmos novas amizades; Aos professores pesquisados: que se dispuseram a responder fidedignamente nossos questionamentos a respeito de suas concepções e práticas pedagógicas. “A arte suprema do mestre consiste em despertar o gozo da expressão criativa e do conhecimento”. ALBERT EINSTEIN LISTA DE ILUSTRAÇÕES Figura 1 – Gráfico: Sexo 37 Figura 2 – Gráfico: Faixa Etária 38 Figura 3 – Gráfico: Formação dos Professores 39 Figura 4 – Gráfico: Área de atuação 39 Figura 5 – Gráfico Tipo de instituição 40 Figura 6 – Gráfico: Tempo de atuação 41 Figura 7 – Gráfico: Pretensão de ingresso em curso 42 Figura 8 – Gráfico: Satisfação da formação acadêmica 42 Figura 9 – Gráfico: Importância da formação 43 Figura 10 – Gráfico: Desafios do professor 44 SUMÁRIO INTRODUÇAO 07 1. REVISÃO BIBLIOGRÁFICA 10 1.1 Os desdobramentos da educação na sociedade da informação 10 1.2 Da escola real à escola necessária 15 1.3 (Re) pensando a prática pedagógica na sociedade da informação 17 2. METODOLOGIA 22 2.1 Caracterização das escolas pesquisadas do município de Serrinha e Água Fria 24 3. ANÁLISE DOS DADOS 28 3.1 Análise dos dados da cidade de Água Fria 28 3.2 Análise dos dados da cidade de Serrinha 32 3.3. Confronto das pesquisas realizadas em Água Fria e Serrinha 37 4. CONCLUSÃO 46 5. REFERÊNCIAS 48 6. ANEXOS 51 INTRODUÇAO O processo de globalização e o uso de tecnologias têm contribuído para diminuir distâncias no sentido de oportunizar um melhor conhecimento das diferentes culturas dos povos espalhados pelo mundo e, ao mesmo tempo, tem possibilitado cada vez mais o isolamento no que diz respeito a pessoas que vivem próximas umas das outras. Vivemos numa sociedade onde o uso da imagem tem (in) formado sujeitos num ritmo acelerado, os valores ganham novos significados e o poder midiático influencia o modo de vida de cada um, onde quem não acompanha essa realidade fica a mercê da exclusão social. Teóricos contemporâneos como Nóvoa, Pozo, Alarcão tem denominado tal época de sociedade da informação e do conhecimento. Inserida neste contexto, encontra-se a escola que tem perdido espaço no que se refere à transmissão de informação e construção de conhecimentos em função de não ter acompanhado a dinâmica que se dá além de seus muros. A referida instituição não detém o monopólio do saber e como organização implantada em comunidades, é preciso que seja mais flexível pensante e equipada de recursos tecnológicos, característica estas que a torna mais possibilitadora de acolher um público diversificado que vai desde àqueles que sequer têm contato com tecnologias básicas até os que têm acesso a equipamentos avançados. Para dar conta desta demanda de responsabilidades que recai sobre a escola é imprescindível pensar no papel colaborador do educador. Este profissional deve estar atento aos desafios apresentados por esta sociedade antes de dar partida ao seu fazer pedagógico, viabilizando meios que atendam as necessidades educacionais dos alunos de forma que estes vejam a escola como um espaço que oportunize um contato mais substancial na aquisição de habilidades inerentes à sua formação educacional. Partindo do pressuposto que a formação do educador é o ponto de partida e de chegada do fazer pedagógico e que a sociedade da informação exerce fortes influências sobre sua formação é que muito se tem enfatizado a necessidade do professor atrelar suas reflexões tecidas em momentos de estudos à sua atividade cotidiana em sala de aula. Sabe-se, contudo, das barreiras enfrentadas por este, que podem ser: insuficiências de recursos financeiros, oportunidades de estudos, condições precárias de trabalho etc. fatores estes que interferem diretamente no êxito do aperfeiçoamento profissional. Kenski (2006, p. 104) afirma que o professor é dentre outras definições “um agente de memória da sociedade digital” e ainda um “agente das inovações” é, portanto, “um incansável pesquisador, um profissional que aceita os desafios e a imprevisibilidade da época para avançar no conhecimento e definir seus caminhos a cada instante”. Assim, mesmo sendo tarefa árdua, o processo contínuo da formação docente deve ser almejado e presente na trajetória profissional. Este trabalho se apresenta como uma contribuição significativa para todos aqueles envolvidos com a educação, visto tratar da importância da formação continuada do professor, identificando possíveis desafios impostos pela sociedade da informação e ainda busca delinear caminhos que contribuam para modificações do processo educativo. O mesmo nasceu diante dos questionamentos tecidos ao longo dos momentos de leituras e reflexões do curso de Pós-Graduação Política do Planejamento Pedagógico, especialmente no módulo de Didática e atrelados às observações feitas por cada um dos autores em seus respectivos locais de trabalho, visto que todos atuam no setor educacional como regentes, diretores ou coordenadores municipais de educação. A presente monografia está estruturada em quatro capítulos. No primeiro, intitulado revisão bibliográfica, enfatiza-se as atribuições da educação como canal possibilitador da inclusão digital e social do cidadão brasileiro na sociedade da informação, além de reforçar a necessidade de se repensar a instituição escola e se encerra com uma discussão crítico-reflexivo acerca do papel do educador e as implicações da formação continuada em sua prática pedagógica. Jorge Correia da Rocha, é pos- graduado na UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA e coordenador de educação da prefeitura de Água Fria-Ba

Nenhum comentário: